Background familiar e desempenho escolar: uma abordagem com variáveis binárias a partir dos resultados do Saresp

Palavras-chave: Proficiência em matemática. Renda familiar. Escolaridade materna. Saresp. Variáveis binárias

Resumo

No presente estudo investiga-se o impacto de fatores externos à escola sobre a escolarização do indivíduo. Renda e escolaridade materna são consideradas para medir o efeito de aspectos familiares no desempenho em matemática do aluno. Para tanto, foram utilizados dados referentes à nota em matemática dos alunos da 3ª série do ensino médio e as respostas dos pais ao questionário socioeconômico, aplicado pelo Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) na edição de 2013. São propostos modelos com variáveis binárias e obtidas estimativas para os parâmetros por meio do software SPSS. Os resultados mostram que rendas mais altas proporcionam melhores desempenhos educacionais, porém há restrições.
O nível de escolaridade materna atua positivamente sobre o desempenho do aluno, mas está limitado ao nível adequado de proficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Fernanda Bassetto, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Doutora em Ciências pelo Programa de Engenharia de Produção, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da Universidade de São Paulo (USP) e mestre em estatística pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora do departamento de Ciências da Educação na Faculdade de Ciências e Letras (FCL), da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), campus de Araraquara.

Referências

ALVES, M. T. G.; SOARES, J. F. O efeito das escolas no aprendizado dos alunos: um estudo com dados longitudinais no ensino fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 3, p. 527-544, set./dez. 2008.

BARBOSA, M. E. F.; FERNANDES, C. A escola brasileira faz diferença? Uma investigação dos efeitos da escola na proficiência em matemática dos alunos da 4ª série. In: CRESO, F. (org.). Avaliação, ciclos e promoção na educação. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001. p. 155-172.

BARROS, R.; MENDONÇA, R. O impacto de gestão escolar sobre o desempenho educacional. Research Department Publications 3000, Inter-American Development Bank, Research Department, 1997. Disponível em: http://www.iadb.org/res/publications/pubfiles/pubR-301.pdf. Acesso em: 28 set. 2016.

COLEMAN, J.; CAMPBELL, E.; HOBSON, C.; MCPARTLAND, J.; MOOD, A.; WEINFELD, F.; YORK, R. Equality of educational opportunity. Washington, DC: National Center for Educational Statistics, 1966. Disponível em: http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED012275.pdf>. Acesso em: 30 set. 2016.

FERRÃO, M. E.; BELTRÃO, K. I.; FERNANDES, C.; SANTOS, D.; SUÁREZ, M.; ANDRADE, A. do C.O Saeb – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica: objetivos, características e contribuições na investigação da escola eficaz. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 18, n. 1/2, p. 111-130, jan./dez. 2001.

FRANCO, A. M. P.; MENEZES FILHO, N. Uma análise de rankings de escolas brasileiras com dados do SAEB. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 42, n. 2, p. 263-283, abr./jun. 2012.

GELMAN, A.; CARLIN, J. B.; STERN, H. S.; RUBIN, D. B. Bayesian data analysis. 2. ed. Washington, DC: Chapman & Hall, 2009.

GUJARATI, D. Econometria básica. 3. ed. São Paulo: Makron Boooks, 2000.

HARDY, M. A. Regression with dummy variables. Newbury Park: Sage Publications, 1993.

JESUS, G. R. de; LAROS, J. A. Eficácia escolar: regressão multinível com dados de avaliação em larga escala. Avaliação Psicológica, Campinas, v. 3, n. 2, p. 93-106, nov. 2004.

PALERMO, G.; SILVA, D. B. do N.; NOVELLINO, M. S. F. Fatores associados ao desempenho escolar: uma análise da proficiência em matemática dos alunos do 5º ano do ensino fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 31, n. 2, p. 367-394, jul./dez. 2014.

RIANI, J. de L. R.; RIOS-NETO, E. L. G. Background familiar versus perfil escolar do município: qual possui maior impacto no resultado educacional dos alunos brasileiros? Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 251-269, jul./dez. 2008.

RIOS-NETO, E. L. G.; CÉSAR, C. C.; RIANI, J. de L. R. Estratificação educacional e progressão escolar por série no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, p. 395-415, dez. 2002.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FRD. Relatório pedagógico SARESP 2013 – Matemática. São Paulo: Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, 2013.

SOARES, J. F.; COLLARES, A. C. M. Recursos familiares e o desempenho cognitivo dos alunos do ensino básico brasileiro. Dados: Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 49, n. 3, p. 615-650, 2006.

SOARES, J. F.; CÉSAR, C. C.; MAMBRINI, J. Determinantes de desempenho dos alunos do ensino básico brasileiro: evidências do SAEB de 1997. In: CRESO, F. (org.). Avaliação, ciclos e promoção na educação. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001. p. 121-153.

SOARES, T. M.; MENDONÇA, M. C. M. Construção de um modelo de regressão hierárquico para os dados do Simave-2000. Pesquisa Operacional, v. 23, n. 3, p. 421-441, set./dez. 2003.

TRIOLA, M. F. Introdução à estatística. 10. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

Publicado
2019-10-01
Como Citar
Bassetto, C. F. (2019). Background familiar e desempenho escolar: uma abordagem com variáveis binárias a partir dos resultados do Saresp. Revista Brasileira De Estudos De População, 36, 1-18. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0077
Seção
Artigos originais