Qualidade de vida relacionada à saúde dos cuidadores formais de idosos institucionalizados em Natal, Rio Grande do Norte

  • Lara de Melo Barbosa Professora Associada - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET), Departamento de Ciências Atmosféricas e Climáticas (DCAC).
  • Kenya Noronha Professora Adjunta - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), Departamento de Economia
  • Maria Helena Constantino Spyrides Professora Associada - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET), Departamento de Ciências Atmosféricas e Climáticas (DCAC).
  • Cristiane Alessandra Domingos de Araújo Cedeplar/UFMG
Palavras-chave: Envelhecimento, Cuidador formal de idosos, Instituições de longa permanência para idosos, SF-36, Qualidade de vida relacionada à saúde

Resumo

O Brasil vem experimentando um processo de envelhecimento populacional que impõe desafios para atender às necessidades dos idosos, especialmente os dependentes funcionais. Nesse cenário, as instituições de longa permanência para idosos (ILPI) podem ser importantes para prover auxílio e amparo a esse grupo populacional e seus familiares. O objetivo desse estudo é caracterizar o perfil do cuidador de idosos institucionalizados em ILPI, abordando especificamente a qualidade de vida relacionada à saúde mensurada pelo instrumento SF-36. Foi também analisado o perfil sociodemográfico e ocupacional desses indivíduos. Os dados provêm de uma pesquisa realizada em 2012 entre os cuidadores formais ocupados em 11 das 12 ILPI cadastradas em Natal, RN. Foram entrevistados 92 cuidadores formais, representando 68% do universo desse grupo ocupacional. Realizaram-se análises descritivas do perfil do cuidador, distinguindo-se por natureza da ILPI (filantrópica ou privada), bem como testes estatísticos para verificar se as diferenças segundo a natureza das instituições eram significativas. A maior perda de saúde foi observada para o domínio “estado de saúde geral”, seguido pelos domínios vitalidade e de dor, definidos pelo SF-36. A perda de saúde pode refletir, em certa medida, a sobrecarga de trabalho imposta aos cuidadores, em relação tanto à jornada de trabalho como ao elevado número de idosos sob a responsabilidade de cada cuidador. Não foram observadas diferenças significativas na qualidade de vida relacionada à saúde segundo natureza das instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lara de Melo Barbosa, Professora Associada - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET), Departamento de Ciências Atmosféricas e Climáticas (DCAC).
Possui Graduação em Estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1992), Mestrado em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999) e Doutorado em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001). Atualmente, é Professor Associado III do Departamento de Ciências Atmosféricas e Climáticas da UFRN. Coordena o Programa de Pós-graduação em Ciências Climáticas da UFRN. Tem experiência na área de Estatística e Demografia, com ênfase nos componentes demográficos, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde, indicadores sociais, avaliação das fontes de dados demográficos, população e clima.
Kenya Noronha, Professora Adjunta - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), Departamento de Economia
Possui graduação em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1998), e mestrado (2001) e doutorado (2005) em Economia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (CEDEPLAR) da UFMG. Entre janeiro de 2006 e dezembro de 2008, foi bolsista de Pós-Doutorado do programa FORGATY nos Estados Unidos (University of Wisconsin-Madison e Northwestern University). Em 2009, foi Gestora de Ensino e Pesquisa no Centro de Estudos de Políticas Públicas (CEPP) da Fundação João Pinheiro (FJP), Minas Gerais. Atualmente, é professora do departamento de economia e do CEDEPLAR da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Capital Humano, Economia da Saúde, Avaliação de Políticas Públicas de Saúde e Demografia Economica, atuando principalmente nos seguintes temas: estado de saúde, envelhecimento populacional na America Latina e Caribe, acesso aos servicos de saude, desigualdade social em saude, desigualdades de renda e avaliação de tecnologia em saúde. É vice-coordenadora do Grupo de Estudos em Economia da Saúde e Criminalidade - GEESC no CNPQ
Maria Helena Constantino Spyrides, Professora Associada - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET), Departamento de Ciências Atmosféricas e Climáticas (DCAC).
Graduada em Estatistica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1988), mestrado em Agronomia (Estatística e Experimentação Agronômica) pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (2004). Atualmente é professor adjunto lotada no Departamento de Estatística da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Docente dos Programa de Pós-graduação em Ciências Climáticas (Mestrado e Doutorado). Tem experiência na área de Probabilidade e Estatística, com ênfase em Análise de Dados Longitudinais e Dados Categorizados, Modelos de Efeitos Mistos (Lineares e Não Lineares) atuando principalmente nos seguintes temas: epidemiologia, saúde pública e modelagem em clima e saúde.
Cristiane Alessandra Domingos de Araújo, Cedeplar/UFMG
Possui graduação em Estatística pela UFRN (2003). Mestra em Demografia (PPGDEM/UFRN, 2013). Atualmente é doutoranda em Demografia (CEDEPLAR/UFMG). Tem experiência na área de Estatística, com ênfase em Pesquisas de opinião e aspectos demográficos, aplicação de testes e banco de dados, atuando em qualquer área que utilize e necessite das ferramentas Estatísticas e demográficas .

Referências

ADORNO, M. L. G. R.; BRASIL-NETO, J. P. Assessment of quality of life by the SF-36 questionnaire in chronic low back pain cases. Acta Ortopédica Brasileira, São Paulo, v. 21, n. 4, p. 202-207, 2013.

ALVES, J. E. D. A transição demográfica e a janela de oportunidades. São Paulo: Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial, 2008.

ALVES-SILVA, J. D.; SCORSOLINI-COMIN, F.; SANTOS, M. A. Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 26, n. 4, p. 820-830, dez. 2013.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 283, de 26 de setembro de 2005. Aprova o Regulamento Técnico que define normas de funcionamento para as Instituições de Longa Permanência para Idosos. Brasília: Anvisa, 2005.

ARAÚJO, C. L. O.; LOPES, C. M.; SANTOS, G. R.; JUNQUEIRA, L. P. Perfil dos colaboradores de uma instituição de longa permanência para idosos (ILPI). Revista Kairós Gerontologia, v. 17, n. 1, p. 219-230, 2014.

ARAI, Y.; KUMAMOTO, K.; MIZUNO, Y.; WASHIO, M. Depression among family caregivers of community-dwelling older people who used services under the Long Term Care Insurance program: a large-scale population-based study in Japan. Aging Ment Health, v. 18, n. 1, p. 81-91, 2014.

BARBOSA, M. F. M. Envelhecimento populacional: um diagnóstico dos idosos institucionalizados, em Natal/RN. 2013. 142 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências Exatas e da Terra, Programa de Pós-Graduação em Demografia, Natal, RN, 2013.

BARTOLO, M.; DE LUCA, D.; SERRAO, M.; SINFORIANI, E.; ZUCCHELLA, C.; SANDRINI, G. Caregivers burden and needs in community neuro rehabilitation. Journal Rehabilitation Medicine, v. 42, n. 9, p. 818-822, 2010.

BATISTA, A. S.; JACCOUD, L. B.; AQUINO, L.; EL-MOOR, P. D. Envelhecimento e dependência: desafios para a organização da proteção social. Brasília: Ministério da Previdência Social, 2008 (Coleção Previdência Social, v. 28).

BRITO, F. A transição demográfica no contexto internacional. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG, 2007 (Texto para discussão, n. 317).

CAMARANO, A. A. Cuidados de longa duração para a população idosa: família ou instituição de longa permanência? Sinais Sociais, v. 7, n. 3, p. 10-39, 2008a.

CAMARANO, A. A. Características das instituições de longa permanência para idosos – região Nordeste. Brasília: Ipea; Presidência da República, 2008b.

CAMARANO, A. A.; PASSINATO, M. T. O envelhecimento populacional na agenda das políticas públicas. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Muito além dos 60: os novos idosos brasileiros. Rio de Janeiro: Ipea, 2004. p. 253-292.

CAMARANO, A.A .; KANSO, S.; MELLO, J. L. Como vive o idoso brasileiro? In: CAMARANO, A. A. (Org.). Muito além dos 60: os novos idosos brasileiros. Rio de Janeiro: Ipea, 2004a. p. 25-73.

CAMARANO, A. A.; KANSO, S.; MELLO, J. L.; PASINATO, M. T. Famílias: espaço de compartilhamento de recursos e vulnerabilidades. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Muito além dos 60: os novos idosos brasileiros. Rio de Janeiro: Ipea, 2004b. p.137-168.

CAMARANO, A. A.; MELLO, J. L. Cuidados de longa duração no Brasil: o arcabouço legal e as ações governamentais. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de Janeiro: Ipea, 2010. p. 68-92.

CAMARANO, A. A.; CARVALHO, D. F.; KANSO, S.; MELLO, J. L. As instituições de longa permanência para idosos no Brasil. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de Janeiro: Ipea, 2010. p. 187-212.

CAMARANO, A. A.; KANSO, S. As instituições de longa permanência para idosos no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 232-235, jan./jun. 2010.

CAMARGOS, M. C. S. Instituições de longa permanência para idosos: um estudo sobre a necessidade de vagas. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 211-217, jan./jun. 2014.

CARVALHO, M. I. L. B. Modelos de política de cuidados na velhice em Portugal e em alguns países europeus. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 119-133, nov. 2009.

CHAN, A.; MALHOTRA, C.; MALHOTRA, R.; RUSH, A. J.; ØSTBYE, T. Health impacts of caregiving for older adults with functional limitations: results from the Singapore Survey on Informal Caregiving. Journal of Aging and Health, v. 25, n. 6, p. 998-1012, Sep. 2013.

CHRISTOPHE, M.; CAMARANO, A. A. Dos asilos às instituições de longa permanência: uma história de mitos e preconceitos. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2010. p. 145-162.

CICONELLI, R. M.; FERRAZ, M. B.; SANTOS, W.; MEINÃO, I.; QUARESMA, M. R. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Revista Brasileira de Reumatologia, v. 39, n. 3, p. 143-150, 1999.

COUTO, J. A. B. A trajetória ocupacional de cuidadores formais domiciliares de pessoas idosas: gênero, trabalho, qualificação e cuidado. 2012. 189 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública, São Paulo, 2012.

DAVIM, R. M. B.; TORRES, G. V.; DANTAS, S. M. M.; LIMA, V. M. Estudo com idosos de instituições asilares no município de Natal/RN: características socioeconômicas e de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 12, n. 3, p. 518-524, maio/jun. 2004.

DUARTE, Y. A. O.; BERZINS, M. A. V. S.; GIACOMIN, K. C. Política nacional do idoso: as lacunas da lei e a questão dos cuidadores. In: ALCÂNTARA, G.; CAMARANO, A. A. (Org.). Política nacional do idoso: velhas e novas questões. Rio de Janeiro: Ipea, 2016.

FERREIRA, C. G.; ALEXANDRE, T. S.; LEMOS, N. D. Fatores associados à qualidade de vida de cuidadores de idosos em assistência domiciliária. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 398-409, 2011.

GARRIDO, R.; MENEZES, P. R. Impacto em cuidadores de idosos com demência atendidos em um serviço psicogeriátrico . Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 38, n. 6, p. 835-841, dez. 2004.

GONZAGA, M. R. O futuro da população brasileira: aspectos metodológicos e operacionais para projeções populacionais no Brasil. Revista Coletiva, n. 13, p. 1-3, jan./abr. 2014.

GROISMAN, D. Formação de cuidadores de idosos: avanços e retrocessos na política pública de cuidados no Brasil. In: MOROSINI, V. G. C.; LOPES, M. C. R.; CHAGAS, D. C.; CHINELLI, F.; VIEIRA, M. (Org.). Trabalhadores técnicos em saúde: aspectos da qualificação profissional no SUS. 1. ed. Rio de Janeiro: EPSJV, 2013. p. 391-419.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2010 (Série Estudos e Pesquisas: informação demográfica e socioeconômica, n. 27).

KAWASAKI, K.; DIOGO, M. J. D. Assistência domiciliária ao idoso: perfil do cuidador formal – parte II. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 35, n. 3, p. 257-264, 2001a.

KAWASAKI, K.; DIOGO, M. J. D. Assistência domiciliária ao idoso: perfil do cuidador formal – parte II. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 35, n. 4, p. 320-327, 2001b.

KUCHEMANN, B. A. Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Sociedade e Estado, v. 27, n. 1, p. 165-180, 2012.

LOPES, R. A.; MITRE, N. C. D.; COELHO, M. A. G. M.; QUEIROZ, B. Z. Perfil dos cuidadores das instituições de longa permanência para idosos de Itaúna – MG. ConScientiae Saúde, v. 11, n. 2, p. 338-344, abr./jun. 2012.

LOUREIRO, L. S. N.; MELO, M. G.; FERNANDES, S. M.; NOBREGA, M. M. L. N.; RODRIGUES, R. A. P. Sobrecarga de cuidadores familiares de idosos: prevalência e associação com características do idoso e do cuidador. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 47, n. 5, p. 1133-40, 2013.

MEDEIROS, F. A. L. Processo de cuidar em instituições de longa permanência de idosos: (re)pensando a função dos cuidadores. 2014. 162 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, João Pessoa, PB, 2014.

MEDEIROS, F. A. L.; OLIVEIRA, J. M. M.; LIMA, R. J.; NÓBREGA, M. M. L. O cuidar de pessoas idosas institucionalizadas na percepção da equipe de enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 56-61, mar. 2015.

MOLYNEUX, G. J.; MCCARTHY, G. M.; MCENIFF, S.; CRYAN, M.; CONROY, R. M. Prevalence and predictors of carer burden and depression in carers of patients referred to an old age psychiatric service. International Psychogeriatrics, v. 20, n. 6, p. 1193-202, 2008.

MORAES, E.N. Atenção à saúde do idoso: aspectos conceituais. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2012.

MORALES, R. R.; MORALES, N. M. O.; ROCHA, F. C. G.; FENELON, S. B.; PINTO, R. M. C.; SILVA, C. H. M. Qualidade de vida em portadores de esclerose múltipla. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, v. 65, n. 2-B, p. 454-60, 2007.

NAKATANI, A. Y. K.; SOUTO, C. C. S.; PAULETTE, L. M.; MELO, T. S.; SOUZA, M. M. Perfil dos cuidadores informais de idosos com déficit de autocuidado atendidos pelo Programa de Saúde da Família. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 5, n. 1, p. 15-20, 2003.

NICKEL, R.; LIMA, A. P.; NAVARRO, E. J.; PINTO, L. M.; TEIVE, H. A. G.; BECKE, N. Correlação entre a qualidade de vida de cuidadores familiares e os níveis de independência funcional dos cuidados. Cogitare Enfermagem, v. 15, n. 2, p. 225-230, abr./jun. 2010.

OLIVEIRA; S. K.; LANDGRAF, F. J.; DELLAROZA, M. S. G.; YAMADA, K. N.; TRELHA, C. S.; CABRERA, M. A. S. Perfil dos cuidadores de idosos atendidos pelo projeto de assistência interdisciplinar a idosos em nível primário – PAINP – Londrina, PR. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 5, n. 2, p. 184-192, maio/ago. 2006.

PALLONI, A.; MCENIRY, M.; DÁVILA, A. L.; GURUCHARRI, A.G. The influence of early conditions on health status among elderly Puerto Ricans. Social Biology, v. 52, n. 3-4, p. 132-63, Fall-Winter 2005.

PALLONI, A.; MCENIRY, M.; WONG, R.; PELAEZ, M. The tide to come: elderly health in Latin America and the Caribbean. Journal of Aging and Health, v, 18, n. 2, p. 180-206, 2006.

PASINATO, M. T. M.; KORNIS, G. E. M. Cuidados de longa duração para idosos: um novo risco para os sistemas de seguridade social. Rio de Janeiro: Ipea, 2009 (Texto para discussão, n. 1371).

PEREIRA, R. A.; SANTOS, E. B.; FHON, J. R. S.; MARQUES, S.; RODRIGUES, R. A. P. Sobrecarga dos cuidadores de idosos com acidente vascular cerebral. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 47, n. 1, p. 185-192, 2013.

PINTO, S. P. L. C.; SIMSON, O. R. M. V. Instituições de longa permanência para idosos no Brasil: sumário da legislação. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 169-174, 2012.

PINTO, M. F.; BARBOSA, D. A.; FERRETI, C. E. L.; SOUZA, L. F.; FRAM, D. S.; BELASCO, A. G. S. Qualidade de vida de cuidadores de idosos com doença de Alzheimer. Acta Paulista de Enfermagem, v, 22, n. 5, p. 652-657, 2009.

POLLO, S. H. L.; ASSIS, M. Instituições de longa permanência para idosos – ILPIS: desafios e alternativas no município do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 11, n. 1, p. 1-18, 2008.

RIBEIRO, M. T. F.; FERREIRA, R. C.; FERREIRA, E. F.; MAGALHÃES, C. L.; MOREIRA, A. N. Perfil dos cuidadores de idosos nas instituições de longa permanência de Belo Horizonte, MG. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, n. 4, p. 1285-1292, ago. 2008.

RIBEIRO, M. T. F.; FERREIRA, R. C.; MAGALHÃES, C. S.; MOREIRA, A. N.; FERREIRA, E. F. Processo de cuidar nas instituições de longa permanência: visão dos cuidadores formais de idosos. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 62, n. 6, p. 870-875.

RIBEIRO, R. N. Cuidador de idoso: discussão do processo de regulamentação da profissão pela análise discursiva de audiências públicas. 2015. 189 f. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Instituto de Psicologia, São Paulo, 2015.

RIPSA – Rede Interagencial de Informações para a Saúde. Demografia e saúde: contribuição para análise de situação e tendências. Brasília, 2009.

ROCHA, A. S. Custos com benefícios para o financiamento com cuidados de longa duração para idosos com dependência: estimativas e projeções para o Brasil. 2015. 273 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Programa de Pós-Graduação em Demografia, Belo Horizonte, 2015.

SAAD, P. M. Transferência de apoio intergeracional no Brasil e na América Latina. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Os novos idosos brasileiros: muito além dos 60? Rio de Janeiro: Ipea, 2004. p. 169-210.

SANTOS, A. A.; PAVARINI, S. C. I. Perfil dos cuidadores de idosos com alterações cognitivas em diferentes contextos de vulnerabilidade social. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 115-22, mar. 2010.

SILVA, I. L. S.; MACHADO, F. C. A.; FERREIRA, M. A. F.; RODRIGUES, M. P. Formação profissional de cuidadores de idosos atuantes em instituições de longa permanência. HOLOS, ano 31, v. 8, p. 342-356, jan. 2016.

SIMONETTI, J. P.; FERREIRA, J. C. Estratégias de coping desenvolvidas por cuidadores de idosos portadores de doença crônica. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 42, n. 1, p. 19-25, mar. 2008.

TURRA, C. M. Os limites do corpo: a longevidade em uma perspectiva demográfica. Revista da UFMG, n. 19, p. 156-181, 2012.

VASCONCELOS, M. Responsabilidades familiares. Revista do Observatório Brasil da Igualdade de Gênero. Primeira Impressão. Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, p. 36-43, 2009.

VERAS, R. P. Em busca de uma assistência adequada à saúde do idoso: revisão da literatura e aplicação de um instrumento de detecção precoce e de previsibilidade de agravos. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 705-715, maio/jun. 2003.

VERAS, R. P. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 548-554, maio-jun. 2009.

WARE, J. E.; SHERBOURNE, C. D. The MOS 36 ltem Short-Form Health Survey (SF-36). I. Conceptual framework and item selection. Medical Care, v. 30, n. 6, p. 473-483, 1992.

WONG, L. L. R.; CARVALHO, J. A. M. O rápido processo de envelhecimento populacional do Brasil: sérios desafios para a saúde pública. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 5-26, jan-jun. 2006.

Publicado
2017-09-13
Como Citar
Barbosa, L. de M., Noronha, K., Spyrides, M. H. C., & Araújo, C. A. D. de. (2017). Qualidade de vida relacionada à saúde dos cuidadores formais de idosos institucionalizados em Natal, Rio Grande do Norte. Revista Brasileira De Estudos De População, 34(2), 391-414. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0004
Seção
Artigos originais